SPECULATION NATION de Bill Brown e Sabine Gruffat, EUA/Espanha, 2014

SPECULATION NATION, Bill Brown e Sabine Gruffat

Dia 25, 19h, Sala Zeca Afonso
75 minutos
Bill Brown e Sabine Gruffat
Estreia Nacional

A crise financeira rebentou em Espanha em 2007. Cerca de um quarto da população perdeu o emprego, centenas de milhares de pessoas perderam as suas casas. A Constituição elaborada após a morte de Franco, que garante o direito à habitação foi abalada por uma combinação de especuladores imobiliarios gananciosos, bancos predadores, dirigentes públicos corruptos e a catastrofe financeira global.
Bill Brown e Sabine Gruffat viajaram através de espanha para documentar as consequencias da crise da habitação. Encontraram cidadãos espanhois inspirados pelas ideias dos movimentos 15M e Occupy Wall Street, que se mobilizam, organizam e lutam pelo direito a um lugar digno para viver.

Anúncios

Sessão Curtas I

A caca revolucões, Margarida Rêgo

Dia 25, 19h30, Sala Salgueiro Maia
56 minutos na totalidade

A CAÇA REVOLUÇÕES
de Margarida Rêgo
Portugal, 2014,
11 minutos

Tudo começou com uma fotografia tirada em 1974, pouco depois da Revolução Portuguesa sair às ruas. Ela tenta entrar nessa fotografia à procura de um país, como quem quer entrar dentro de um tempo em que não viveu e perceber o que significa fazer parte de uma revolução ou o que significa lutar por um país. “A Caça Revoluções” é um encontro entre dois países, entre duas lutas e entre duas pessoas que procuram a transformação de um país. “A Caça Revoluções” tenta entrar, transformar e redesenhar sobre um passado, como se dele pudesse tirar vida..

Metáfora ou a Tristeza Virada Do Avesso, Catarina Vasconcelos

METÁFORA OU A TRISTEZA VIRADA DO AVESSO
De Catarina Vasconcelos
Portugal, 2014,
32 minutos

Quando fazem 9 anos da morte da mãe, Nuno escreve à irmã que vive em Londres. Esta correspondência leva-os numa viagem até ao passado, onde tentam perceber o tempo em que a mãe viveu, e como Portugal era nos anos 70, quando existiu uma revolução. Chamaram-lhe Revolução dos Cravos e foi em 1974, quando a mãe ainda era nova e “O povo unido jamais será vencido” ecoava nas ruas e a reforma agrária explodia por todo o país.
É da junção entre uma história autobiográfica e a História recente de Portugal, que surge o filme Metáfora ou a tristeza virada do avesso, que é uma luta contra o esquecimento.

Facies Hippocratica ou Máscara da Morte, Mariana Mendes Delgado

FACIES HIPPOCRATICA OU MÁSCARA DA MORTE
de Mariana Mendes Delgado
Portugal, 2014,
13 minutos

Neste ensaio-vídeo expatriam-se conceções de democracia, liberdade ou vigilância num torcer convulsivo do nosso tão estimado imaginário coletivo, onde os valores emigram das suas próprias formas e caem no fosso vazio que é, apesar de tudo, significado de incomunicabilidade. Citando, por fim, Walter Benjamin “Allegories are, in the realm of thoughts, what ruins are in the realm of things”.

O ESPÍRITO DE 45 de Ken Loach, Reino Unido, 2013

O Espírito de 45, Ken Loach

Dia 25, 21h, Sala Salgueiro Maia
94 minutos
Ken Loach

Memórias e Reflexões da Vitória do Partido Trabalhista em 1945
“A Segunda Guerra Mundial foi uma luta, talvez a maior e mais considerável luta colectiva em que este país esteve envolvido. Apesar de outros terem feito sacrifícios maiores, o povo da Rússia, por exemplo, a determinação de construir um mundo melhor era tão forte aqui como nos outros países. Nunca mais, acreditava-se, iríamos permitir que a pobreza, o desemprego e o fascismo desfigurasse as nossas vidas.
Ganhámos a guerra juntos, juntos podíamos ganhar a paz. Se conseguíamos planear campanhas militares, não conseguiríamos também construir casas, criar um serviço de saúde e um sistema de transportes, fazer o que era necessário para a reconstrução?
A ideia central era a do bem público, em que a produção e os serviços beneficiariam todos. Não deveriam uns poucos ficar ricos em detrimento de todos os outros. Foi uma ideia nobre, popular e aclamada pela maioria. Foi o Espírito de 45. Talvez seja altura de o relembrar hoje. “ Ken Loach.

ARNA´S CHILDREN de Juliano Mer-Khamis e Danniel Danniel, Israel/Holanda, 2003

ARNA´S CHILDREN,  Juliano Mer-Khamis e Danniel Danniel

Dia 25, 21h30, Sala Zeca Afonso
85 minutos
Juliano Mer-Khamis e Danniel Danniel
Com legendas em inglês

Arna Mer Khamis é proveniente de uma família sionista, tendo casado com Saliba Khamis, um árabe israelita, na década de 1950. Mais tarde desenvolveu na Cisjordânia métodos alternativos de educação para crianças palestinianas afectadas pela ocupação israelita. O grupo de teatro que fundou em Jenin tentava ajudar as crianças a expressar as suas frustrações diárias, os medos, a raiva e a amargura. O filho de Arna, Juliano, que também colaborou no teatro de Jenin, filmou as crianças nos períodos de ensaio entre 1989 e 1996. Agora, após a batalha de Jenin, regressa ao campo de refugiados para descobrir o que lhes aconteceu. Alternando imagens do passado com o presente, o documentário revela a tragédia e o horror de vidas condicionadas pela ocupação israelita.

PODER EM RODA LIVRE – A HISTÓRIA DA TROIKA de Arpad Bondy e Harald Schumann, Alemanha, 2015

PODER EM RODA LIVRE – A HISTÓRIA DA TROIKA, Arpad Bondy e Harald Schumann

Dia 25, 22h45, Sala Salgueiro Maia
90 minutos
Arpad Bondy e Harald Schumann

Já passaram cinco anos desde que os Estados em crise se viram a braços com o sobrendividamento. Para obter os empréstimos de que precisam com urgência, tiveram de se sujeitar às exigências – os famosos memorandos – de três instituições que constituem a troika: o Fundo Monetário Internacional (FMI), a Comissão Europeia (CE) e o Banco Central Europeu (BCE). As medidas de austeridade que impuseram não surtiram até ao momento os efeitos positivos anunciados, antes pelo contrário.
Altos funcionários, agindo sem qualquer controlo parlamentar, tomam as decisões que os governos devem depois executar. Para entender melhor este processo, o jornalista e economista alemão Harald Schumann (autor de Quando a Europa salva os bancos, quem paga? difundido no canal ARTE em 2013) viajou até à Irlanda, à Grécia, a Portugal, a Chipre, a Bruxelas e aos Estados-Unidos. Ao longo deste apaixonante trabalho de investigação, questionou ministros, economistas, advogados, banqueiros, vítimas da crise, assim como o prémio Nobel de Economia 2008, Paul Krugman, que explica porque esta política de cortes não funciona.

Sessão Habitação

À Margem, Inês Santos Moura e Ana Garcia

Dia 25, 23h30, Sala Zeca Afonso
77 minutos na totalidade

À MARGEM,
de Inês Santos Moura e Ana Garcia
Portugal, 2014,
7 minutos

Na margem do Douro, na escarpa das fontainhas, entre recantos poéticos, nos bairros escondidos e indigentes, habita gente invisível nos bastidores do Porto. Um retrato da beleza e da pobreza de gente que vive à margem…

La plataforma PAH Barcelona

LA PLATAFORMA,
de Jon Herranz,
Espanha, 2012,
70 minutos

Um documentário que aborda a problemática das hipotecas em Espanha e o papel que ela joga na “Plataforma de Afectados por la Hipoteca”. O filme mostra as prespectivas de muitas pessoas: juizes, antropologos, advogados, técnicos de saúde, activistas pelos direito à habitação e a representante das Nações Unidas pelos direitos a uma casa adequada. O filme retrata as causas estruturais que levarão à explosão da crise hipotecária, as suas consequências económicas e especialmente humanas. Neste sentido, retrata o poderoso processo de transformação e emancipação social que arrancou com o PAH e onde os próprios afectados se tornaram agentes sociais activos através das suas reivindicações.