EXPOSIÇÃO

 

Feminismo, nem um passo atrás

EXPOSIÇÃO

25-28 Abril

Sinopse

Manifesto, textos, panfletos, publicações e outros materiais do Grupo Autónomo de Mulheres do Porto (GAMP) e da Greve Feminista Internacional no Porto.

 

DOCUMENTÁRIOS//DEBATE

26 Abril 18h30

 

**Work in progress “8 Março”, Melanie Pereira (2019)

“A resposta das Mulheres”, Agnès Varda (1975)

***Alda de Sousa (GAMP, Bloco de Esquerda)

Andrea Peniche (A Coletiva, Bloco de Esquerda)

Patri Amaya (Secretaria Feminista- Anticapitalistas, Coordenação estatal da Greve Feminista)

 

A história do movimento feminista é feita de ruturas mas também de diálogos e de solidariedades. O GAMP- Grupo Autónomo de Mulheres do Porto- foi, provavelmente, o primeiro coletivo do feminismo anticapitalista em Portugal, feminismo este que teve recentemente um ressurgimento e a sua mais expressiva demonstração de vitalidade no processo de construção da Greve Feminista Internacional de 8 de Março de 2019.

Esta exposição não é uma cronologia histórica do feminismo em Portugal, mas um exercício de aproximação de experiências concretas de mobilização feminista. Há um salto temporal propositado entre a intervenção do Grupo Autónomo de Mulheres do Porto (1977-1982) e a construção da Greve Feminista Internacional na cidade do Porto ( de 11/03/2018 -8/03/2019). Entre o GAMP e esta nova vaga feminista, são muitas as mulheres que contribuíram para a construção da mais recente memória histórica do feminismo em Portugal, o 8 de Março.

Do GAMP herdamos a urgência de um feminismo que vai à raízes dos problemas (mulheres e trabalho, mulheres e educação, mulheres e família, mulheres e a igreja, mulheres e a publicidade, mulheres e a violência). Quando recuperamos em 2019 o Manifesto às Mulheres do GAMP e convocamos essa agenda para o manifesto da Greve Feminista Internacional em Portugal, criamos uma caixa de ressonância sobre o caminho percorrido e a necessidade de todos os dias reivindicarmos o dia Internacional das Mulheres. Esta exposição é o olhar particular de algumas de nós que nos aventuramos a construir a mais recente memória histórica do feminismo em Portugal, a greve social das mulheres do dia 8 de Março. Somos Feministas, e nem mais um passo atrás!

Um agradecimento especial à Alda de Sousa (GAMP, Bloco de Esquerda) pela cedência do arquivo do GAMP e à Manuela Matos Monteiro (GAMP, Mira Forum) pelo seu trabalho incrível como respigadora de palavras de ordem, agora memória histórica coletiva, desta exposição. Agradecemos às/os autoras/es das fotografias pela cedência dos seus registos para esta exposição. Activismo em Foco (Juliano Mattos) Egídio Santos Helena Ferreira Manuela Matos Monteiro Mar Velez PortugalGay (João Paulo)