10 MAIO

18h
SALTO de Luís Godinho
Portugal | documentário | 15’ | 2017 | M/12

Debate com Luís Godinho, António Couvinha, José Pinto de Sá e Fernando Cardoso (Presidente da AEP61-74 – Associação de Exilados Políticos)

Évora, finais da década de 60. Para escapar à Guerra Colonial, um grupo de jovens prepara o “salto” para França ou para a Holanda. Iludindo a vigilância repressiva da PIDE, utilizam as instalações da Fundação Nacional para a Alegria no Trabalho (FNAT), em Évora, para organizar a fuga. Entre eles encontram-se o artista plástico António Couvinha (narrador do documentário), o fotógrafo José Manuel Rodrigues (Prémio Pessoa em 1999), entre outros. Neste documentário cruzam-se as memórias dos que partiram com o enquadramento histórico-político e sociológico da vivência no interior do País nesse período conturbado da História, marcado pela repressão política, pela Guerra e pelo isolamento no contexto internacional.

21h
A FÁBRICA DE NADA de Pedro Pinho
Portugal | ficção | 176’ | 2017 | M/12

Uma noite um grupo de operários percebe que a administração está a roubar máquinas e matérias-primas da sua própria fábrica. Ao decidirem organizar-se para proteger os equipamentos e impedir o deslocamento da produção, os trabalhadores são forçados – como forma de retaliação – a permanecer nos seus postos sem nada que fazer enquanto prosseguem as negociações para os despedimentos. A pressão leva ao colapso geral dos trabalhadores, enquanto o mundo à sua volta parece ruir.
A Fábrica de Nada é ao mesmo tempo um convite para repensar o papel do trabalho num tempo em que a crise se tornou a forma dominante de governo, um hino à impotência destituinte e um musical lamentável.

Anúncios