EM TUDO QUANTO É MUNDO DITO OU NÃO DITO

Pintura,  escultura,  fotografia, vídeo, instalação e performance.
Galerias Mira – Curadoria José Maia 

Esta exposição apresenta dez criadores de diferentes áreas com percurso nacional e internacional iniciado na primeira e segunda décadas deste século. A exposição inclui obras realizadas em diferentes práticas artísticas como pintura, escultura, fotografia, vídeo, instalação e performance. Os artistas convocados são um fragmento de uma comunidade maior de jovens artistas que, desde a década anterior até ao presente, têm uma postura atuante face à conjuntura cultural do país.

Com:
Filipe Marques _ escultura e instalação

Isabel Ribeiro _ pintura

João Brojo e Felicia Teixeira _ instalação 

José Oliveira _ intervenção mural

Manuel Santos Maia _ instalação
Marco Moreira – Instalação-escultura
Nuno Cassola _ vídeo
Tales Frey – performance e vídeo-performance
Paulo Aureliano da Mata – fotografia
Priscilla Davanzo – Performance

Filipe Marques

Isabel ribeiro

jose maia 1

isabel ribeiro 2

Este projecto artístico comissariado para a Galeria Municipal Almeida Garrett (situada na Biblioteca Municipal Almeida Garrett) com o Pelouro da Cultura da Câmara Municipal do Porto, apresentou um conjunto de trinta criadores de diferentes áreas artísticas com percurso nacional e internacional, que desde o início do novo século, enquanto artistas-editores, artistas-curadores ou artistas-investigadores, têm dinamizado a cidade do Porto com exposições, mostras de performances, performances-concerto, ciclos de conferências, ciclos de cinema, criação de diferentes espaços alternativos, publicação e edição de livros, entre outras e diversas ações do panorama artístico.
O projeto inclui artistas com diferentes práticas artísticas, que foram apresentados numa exposição colectiva e por um amplo conjunto de eventos, como mostras de performance, lançamento de publicações, ciclos de cinema, conversas e conferências temáticas. 
Os artistas convocados no projeto SUB-40 são o fragmento de uma comunidade maior de jovens artistas que, desde a década anterior até ao presente, têm uma postura atuante face à conjuntura cultural do país e do Porto. Estes artistas são ativos dinamizadores da cultura na cidade, onde – paralelamente à criação artística – criaram espaços independentes e alternativos, que com as instituições artísticas e espaços galerísticos complementam e fortalecem o sistema artístico nacional, assumindo o papel de diversos agentes culturais ou convocando diversos agentes do sistema artístico entre os quais curadores/programadores, colecionadores, investigadores e outros comentadores críticos. Este projeto, que apresentou trabalhos inéditos, criados especificamente para o espaço (site-specific), alguns apresentados internacionalmente, apresentados pela primeira vez no Porto pretendeu inscrever o que é ser artista no Porto e em Portugal, na primeira década do século atual, trazendo em boa hora o reconhecimento e a homenagem da cidade a esta comunidade cúmplice de artistas

Anúncios