Želimir Žilnik

Želimir Žilnik (nasceu em Niš em 1942; vive e trabalha em Novi Sad) escreveu e realizou vários filmes e documentários que ganharam diversos prémios em festivais internacionais. Žilnik é conhecido como iniciador do género docu-drama. Desde o início que os seus filmes se focaram em questões contemporâneas, com abordagem social, política e económica do dia-a-dia: A Newsreel on Village Youth in Winter (1967), Little Pioneers (1968), The Unemployed (1968) and June Turmoil(1969), Black Film (1971) and Uprising in Jazak (1973), entre outros.

As manifestações de estudantes em 1968 e o tumulto que se seguiu à ocupação da Checoslováquia estão no centro do seu primeiro filme Early Works (1969) que recebeu o Urso de Ouro no festival de Berlim e quatro prémios no Pula nesse mesmo ano.

Enquanto filmava o seu filme, que sofreu de censura na Jugoslávia, Freedom or Cartoons (filmado em 1972 e que não terminou), Žilnik viveu na Alemanha, onde produziu sete documentários e um filme, Paradise (1976). Estes filmes foram dos primeiros a abordar a força de trabalho emigrante na Alemanha, e continuam a ser mostrados em retrospetivas e simpósios.

Após o seu regresso à Jugoslávia, no final dos anos setenta, dirigiu uma significativa quantidade de séries para televisão para a TV Belgrado e TV Novi Sad (entre elas The Illness and Recovery of Buda Brakus(1980), Vera and Erzika (1981), Dragoljub and Bogdan: Electricity (1982), The First Trimester of Pavle Hromis(1983), Stanimir Descending (1984), Good Morning, Belgrade (1985), Hot Paychecks (1987), Brooklyn – Gusinje(1988), Oldtimer (1989), Black and White (1990) e outras). Também estas séries receberam variadíssimos prémios internacionais.

No final dos anos oitenta, Žilnik produzia filmes através de uma estrutura cooperativa de produção para cinema e televisão. Todos estes trabalhos previam a crescente tensão e iminentes mudanças sociais e políticas que viriam a afetar o país: The Second Generation (1984), Pretty Women Walking through the City (1986) andThe Way Steel Was Tempered (1988).
Nos noventa produz filmes independentes que retratam os eventos cataclísmicos que aconteciam nos Balcãs (Tito among the Serbs for the Second Time (1994), Marble Ass (1995), Throwing off the Yolks of Bondage (1996), Wanderlust (1998) e outros). Estes filmes ganharam prémios importantes em festivais em Herceg Novi, Palić, Novi Sad e Sopot e foram mostrados em vários festivais internacionais. Em 2005 Marble Ass ganhou o prestigiado “Teddy Award” na Berlinale.

O colapso do sistema de valores na Europa pós transicional da Europa Central e de Leste e os problemas que enfrentam os refugiados e imigrantes nas novas circunstâncias de uma Europa alargada tornaram-se o enfoque dos seus filmes mais recentes Fortress Europe (2000; “Victor Award” para melhor filme do ano, Liubliana),Kenedi Goes Back Home (2003; prémio “Zlatna Mimoza” em Herceg Novi), Kenedi, Lost and Found (2005), europe-next-door (2005; prémio para melhor filme regional no festival de Belgrado 2006 e ZagrebDox 2007), Soap in Danube Opera (2006), Kenedi is Getting Married (2007).
Estes filmes foram exibidos em mais de 250 festivais internacionais.

Ao mesmo tempo que produzia e realizava este imenso trabalho, Žilnik também desenvolvia atividades educativas. Desde 1997 que é mentor, professor e produtor executivo em vários workshops internacionais para estudantes por toda a Europa do leste sul (em workshops como: Divided God em 2007/2008, Petrovaradin Tribe 2005,Crossing Borders em Krsko nos verões de 2003 – 2008, Vite Impossibili em Naples 2003, Document + Fictionin Skopje 1997 e Zagreb 1998). Orador convidado em várias escolas de cinema (deu palestras na Goldsmiths College em Londres, Universidade de Leiden, Kunst-Akademie em Viena, Universidade de Stanford, Universidade Central European em Budapest, School of Arts and Communication na Universidade de Malmö, University College em Londres, etc.).

 

Anúncios

Um pensamento sobre “Želimir Žilnik

  1. Pingback: Black Film de Želimir Žilmik | Desobedoc 2016

Os comentários estão fechados.