Ásia, o Despertar Operário de Michaël Sztanke, 2013

Ásia, o despertar operário
26 de abril, 16h, sala Zeca Afonso
52 minutos
Michaël Sztanke
O realizador estará presente.

Os recentes conflitos e suicídios na Foxconn – um dos maiores empregadores do mundo – enviaram um sinal forte: a China está à beira de um colapso social. A sua classe trabalhadora quer beneficiar do milagre económico que construíram com as suas próprias mãos.

As empresas chinesas podem aumentar salários, e correr o risco de perderem as vantagens do baixo custo de trabalho ou, deslocalizarem a produção para países que com mão obra mais barata e flexível. De facto, a nova tendência da globalização é a deslocalização da produção chinesa para outros países asiáticos. Mas, com as fábricas vem também a gestão chinesa e os seus métodos de trabalho, que países como o Camboja e o Bangladesh já experimentaram.

«Ásia, o despertar operário» é uma investigação emocionante de uma nova realidade que poderá virar a economia mundial do avesso.

Podes consultar o programa de todas as sessões de cinema aqui.

Anúncios